domingo, 28 de dezembro de 2014

Um Pouco de Londres

Andando pelas ruas frias, intimidadoras e Calmas de Londres eu consigo notar o que falta.
Falta um pouco de Luz, sim Luz na vida.
Talvez seja questão de não ter medo de sorrir ou fazer um ato bom.
Muitas vezes sou travada pela meu próprio senso crítico. Peraí, muitas vezes não! A MAIORIA das vezes. E acho que isso mostra para as pessoas um lado que eu não sou.
É uma bola de neve. 
Quando você se dispõe a se criticar, acaba fazendo isso com certa maestria. E isso resulta em uma poda Geral de quem você é.
Acho isso muito óbvio? Não não é!
Pra quem desde criança aprendeu a se comparar e a se julgar o tempo todo, tudo isso vira rotina 
acaba sendo natural. E enxergar isso novamente é como aprender andar de novo.
Nem estou aqui cagando regras pra me comparar em mérito de aparência_ apesar disso também acontecer_ mas o que eu digo vai muito mais além. É muito maior.
A vontade e a necessidade de se auto controlar é tão grande, que acaba sendo um veneno.
Ele vai travando cada impulso seu. Cada vontade de ser espontânea.
Talvez seja só orgulho.
Um orgulho mascarado, que teve inicio bem alí.sabe? Aquele momento onde a autoestima   
foi abalada. ( atropelada, dilacerada)
Enfim, andando pelas ruas de londres, eu ví uma cidade que não liga pra você.
Vi uma cidade enorme cheia de turistas pelos quais jamais vão lembrar meu rosto.
Vi também, a loucura que é me importar com o que elas pensam de mim sendo que elas provavelmente nem me olharam.
Em londres o julgamento fica pra trás, tudo é tão corrido e individual....
Em Londres a rainha não aparece, no metro as pessoas não se encostam, não se atrevem a olhar pra cima da tela do celular ...
Em Londres não faz sentindo me julgar, será que você não percebeu ?
Em londres a rainha, sou EU !


sábado, 20 de dezembro de 2014

You are the best

Acordo.
Ainda com medo do dia. A luz do sol é tão pouca no meu quarto que tento me convencer que ainda é de noite.
Seria mesmo uma boa ideia acordar?
Levantar, ver pessoas, falar sobre assuntos que eu não quero falar, alimentar uma vida com novas experiencias vazias, seguir por ruas e lugares pelos quais sinceramente eu não me importo?
Não, melhor forçar o sono.
Ajeita travesseiro, rola pro lado. 
Tarde de mais, estou acorda.
Um barulho vem brotando de fora pra dentro, quem esta em casa?
Um barulho de copos e vidro se chocando me faz acreditar que sim, existe um ser em minha casa.
Um rato? Um humano ou talvez uma alma perdida.
Ah, eu não me importo mesmo ! 
Visto uma blusa, como se fosse minha capa e vou averiguar o que aconteceu. Com calma e sem nenhuma pressa pego minha caneca de café já encardida, com a frase mais encardida ainda 
" you are the best "  e sigo ainda sonolenta para a cozinha.
Não sou ninguem sem meu café pela manhã. 
Chego de vagar olhando os detalhes do sol agredindo minhas coisas e vejo uma sombra.
Era verdade alguem invadiu minha casa, em pleno o sábado. Mas que falta de educação me assaltar no sábado pela manhã, que fosse a noite, hora bolas, quando eu não estivesse presente  agora vou ter que explicar que funcionária pública só tem estatus e ainda pedir desculpas pelo apartamento de moça não se apresentar como tal.
Vamos lá ladrão se apresente.  Gritei e sentei no sofá e esperei a figura até então desconhecida me atacar ou  pelo menos anunciar o assalto já fracassado já q ele escolheu minha casa.
E escutei uma risadinha.
Achei aquilo um absurdo! Rindo? Rindo de quê ? 
E disse em tom já de deboche:
_Venha ser de suprema inteligencia e senso de humor apareça...
Era um velhinho. Um velhinho desconhecido.
Não entendi mas também não me assustei. A caneca que estava na minha mão e o velhinho aparentemente desarmado me deu certa segurança. Acertar a caneca em sua órbita craniana certamente me daria tempo de fugir ou pelo menos gritar por socorro. Ou nem isso, talvez o impacto seria suficiente para o assalto se torna um homicídio .
Sinceramente, por instante tive vontade de rir. Mas não podia. 
Toda aquela situação exigia de mim que estivesse irritada. E foi assim que eu fiquei.
_Pode começar a explicar, por gentileza? A caneca já esta na minha mão pedindo para se encaixar na sua muleira. 
O velho sorriu e se sentou na minha frente.
Eu não posso acreditar nessa ousadia. Me ajeitei na cadeira. 
_ Vamos senhor, ladrão, invasor, camarada ?! 
Ele disse em tom simpatico mas um pouco tímido :
Dorme sempre todas as manhãs de sábado?
Eu disse : Não senhor, tem manhãs de sábado que pedalo, corro, nado, sou atleta.  Falei em tom debochado. Mas vendo que ele não entendeu. Respondi, sim! Eu durmo! As vezes nem sempre só pelas manhãs mas a tarde e a noite tambem.
E o senhor ? Alem de invadir casas o que o senhor faz ao sábados ?
Ele riu, olhou para a caneca e disse.
Bom, Achei que você fosse a melhor.
Eu respondi, também acreditei nisso um dia.  Mas então o que o senhor faz?
Ele disse, nada só invado casas das pessoas ...
_ Pra roubar ? Eu perguntei debochada,
Não querida. Para deixar um pouco de mim.
Ah ta ! Agora entendi! So que não! Falei já impaciente. 
Ele entrou na cozinha e tirou alguns embrulhos, uns amarrotados e outros com fitas que me faziam lembrar que precisava mesmo ir ao psiquiatra, já que tinha um senhor em minha casa com embrulhos e eu ainda nao tinha chamado a policia...
O que seria esses embrulhos ? Perguntei e ele antes de mais um deboche respondeu.
São meus presentes. Pedaços de mim.
Eu comecei a entrar em colapso. Mas quer saber? A curiosidade foi maior.
Ah claro, me vê ai 5 kilos de figado ( ja que o alcool é rotina ) e um pulmão novinho em folha ( cigarros...) em fitas vermelhas que é minha cor favorita.
Ele sorriu, e procurando entres os sacos de todas as cores viu, pegou com cuidado o de fita vermelha e me entregou com um sorriso aparentemente triste.
Eu peguei o saco e falei :
_ Esta muito leve pra ser um figado e muito duro pra ser um pulmão ...
Ele falou, sempre gostei do seu humor ...
Caiu minha ficha, e não aguentei.
PAPAI NOEL!!!! É VOCÊ???
 Ele não se aguentou e riu ... rimos.
Não filha, não sou papai noel! Sou o invasor de casas.
Bom, mesmo afiada nas ironias não entendi.
Ele veio até mim, pegou minhas mãos e disse abra o pacote.
Eu peguei a fita que era linda , tão vermelha e brilhante. La dentro tinha uma foto, uma caneca e tres cartas.
Peguei as cartas primeiro. A primeira era de um primo muito querido.
A segunda de uma pessoa que dizia me conhecer mas eu não a conhecia e a terceira 
não tinha nada.
Fiquei extremamente emocionada, já que meu primo já não esta mais entre nós.
A pessoa que eu não conhecia me amava profundamente 
e a carta vazia me fez questinar.
E esta carta? De quem é?
Ele disse essa é a minha carta.
Mas por que vazia?
Por que ela você lê todos os dias não precisa esta em papel.
Peguei a foto, era fotos minha com varias etapas de minha vida , cada corte de cabelo e peso diferentes que se passava em sequencia.  
Aquilo, me emocionou tanto.. procurei pela caneca o ultimo presente já com os olhos molhados...
E nela estava escrito.
_  To me, you will always be the best
Foi ai que entendi quem era o senhor, levantei o rosto com mil questionamentos e agradecimentos.
Mas já não havia mais ninguém.
Corri até a janela, olhei para os presentes pra saber se ainda eram reais.
Voltei para as minhas preciosas coisas para reler as cartas e guarda-las antes que desaparecessem como o senhor ... e na carta em branco estava :
Obrigado, por nunca me expulsar da sua vida. 
Mesmo você fraquejando e se entristecendo você nunca me tirou definitivamente
e jamais desacreditou em mim. Estou passando para agradecer vocês,filhos!
Já que me agradecem tanto, sei que seus problemas e suas atribulações não são faceis
mas obrigado por aceitar meu propósito em coloca-las em sua vida, apesar de muitas vezes vocês não entenderem. Obrigado por não ter raiva ou rancores .
Obrigado por amar meu filho e obrigado tentar sempre fazer o bem.
Vocês sempre seram os melhores.

Ass: O invasor de casas , o papai noel , seu amigo!

So tive tempo de dizer : Obrigado por estar presente sempre!

Nisso, o sol ja estava em minha cama atravessando rudemente as percianas...
E naquele dia acordei mais cedo....

FELIZ NATAL!





quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Vontade de Vomitar

Não, eu não estou ficando doida e muito menos começarei fazer apologia a ANA e MIA. ( Anorexia e Bulimia)
É só um sentimento, sim nem é uma sensação chega a ser um sentimento mesmo.
Tenho vontade de vomitar e não não é gravidez, também não.
È uma ansiedade tão grande, uma busca incansável por um caminho que nunca chega.
É uma fixação em me corrigir o tempo todo, é a vontade de bater com o caderno na mesa e gritar :_ chega!
Fina de ano.
Sim, é o final do ano chegando pra fervilhar todas as emoções mais lindas e as mais cruéis tambem.
Me paro pensando em quantas planos , ahhh os planos tão clichê que da vontade de mandar ir a merda a cada um que os profere baixinho durante os fogos de artifício do reveillon regado a cerveja e desastres.
Chega certo ponto da vida, que vc alcança certas coisas e perto disso chega tambem a plena certeza que certas coisas nunca vão mudar!
O peso da semi-gordinha é uma delas.
A não aceitação dele ... Tambem!
E o estomago vira. Se auto-digere.
E você ali sentadinha com as mãos nas coxas esperando ...
Ou que alguem te salve ou que acabe tudo de vez.
Acho que vai acabar tudo de vez, desta vez...
O ano pelo menos, se vai.





segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Do que você abre mão?

Oie ...

Sim, sou a pessoa mais cara de PAU do universo.
Eu não sei, as vezes bate uma vontade de simplesmente viver e não documentar nada.
Sim! Me bateu essa vibe, e foi por bastante tempo, desta vez. 
Eu nao faço ideia de como vcs estão. Nem de como andam sua AF ou RA ...
A minha ... Nossa aconteceu muita coisa. Muita coisa mesmo!
E o peso ? Ah o peso nesse tempo foi de 63 a 69 ... 
E agora não faço ideia... A verdade é que andei evitando a balança.
Sei lá, as vezes viver custa esse preço.
O que eu não entendo em mim, é muito simples...
O por que que meu peso, a minha alimentação são as primeiras coisas que eu deixo pra trás quando o barco aperta.
Eu não sinto que tenho essa ansiedade de comer pra poder suprir ou comer quando estou triste não.
EU simplesmente, boto minha vida e saúde no câmbio automático .. deixo minha alimentação ao sabor do vento ao sabor do acaso.
É engraçado, como abrimos mão disso com essa facilidade irresponsável.
Conseguimos por no automático até bater de cara com o primeiro baque emocional : Pode ser uma roupa, uma amiga, um morro e por fim um comentário.
É amiga, a verdade é que pra quem não escolhe um caminho a vida escolhe pra vc e dificilmente o acaso te protege!

Bom, bem vinda de Volta Izabeluda!


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Eu não sou escritora.

Eu não sou escritora por isso começo meu texto assim
Sem base, sem rumo, sem meio e provavelmente sem fim.

Eu não sou escritora e não entendo por que escrevo
Por talento, por vontade ou por medo?

Eu não sou escritora e não devia me importar
fingir, digitar e impressionar.

Eu não sou escritora e nunca toquei seu coração
É verdade, você é vazio não sabe o que é emoção.

Eu não sou escritora e sempre achei que poderia
em uma tarde, em uma manha em um dia

Eu não sou escritora e poderia terminar por aqui
mas não sou, não quero ser e prefiro ir por ali.

Eu não sou escritora pode ir embora
vai com Deus mas fecha a porta.

Eu não sou escritora e deveria morrer de amor
mas não vou, prefiro a fé do que a dor.

Eu não sou escritora e deveria ir ai e te seguir
mas não vou, prefiro a cama o sonho e não te descobrir.

Eu não sou escritora e nem sei de tudo
mas sei que você tambem não sabe e nunca foi dono do mundo.

Eu não sou escritora, um selo, um marco no agora.
Vai , talvez seja melhor : Nossa Senhora!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Você não sabe nada!

Quando eu paro pra pensar em quantas coisas ja ouvi falar de mim e quantas opiniões erradas já escutei a meu respeito eu sorrio. Mas não o sorriso que eu queria dar, mas sim, um sorriso triste.
Sabe? Sorriso triste?
Quele que você dá quando a causa já esta perdida.
Aquele de canto de boca que mais é um contentamento que realmente um sorriso.
Eu nunca fui de ligar pra opiniões, não mesmo, não me entenda mal, e não precisa me dá concelhos ...Manjados.. sobre não ligar pro que o outro pensa.
A questão é : Como o mundo me vê?
O mundo é um lugar de interação entre vários " mundos individuais"  quando um mundo se choca no outro
cria uma onda essa onda chama-se impressão. 
E é sobre isso que eu ando pensando.  E me frustrando também.
Existe em mim uma amargura charmosa, ao qual me faz ver coisas e me interessar por coisas e perceber coisas e me frustrar com coisas e finalmente me atritar com pessoas.
As pessoas são bem mais difíceis que as coisas. As coisas não são mundos. São coisas.
As pessoas sim, essas são mundos! Mundos complexos entre suas celulas e bacterias todas vivas .. um mundo em um ser ... e são milhares de seres. Seres com Emoção. Seres SEM emoção , as vezes.
Sabe, Amigo. Muita coisa se passa na minha cabeça quando me entrego a pensamentos variados e muitas vezes tristes. Mas o que me incomoda mais, é a impressão.
A impressão é tão traiçoeira, facilmente manipulável. 
E as pessoas ( os mundos) sabem disso, e usam disso. Pro bem e pro mal.
Eu não sei usar. É, nasci com esse defeito grave! 
De não saber me camuflar entre grupos sociais.
Eu sou o murro na parede ( ou a cabeçada) . 
Não escondo opiniões para não atritar. Não sei  disfarçar emoções e não me obrigo a sorrir ou conviver com pessoas das quais não julgo me fazer bem.
E nisso a impressão de " antipatia" é inevitável.
Resumindo sou a chata da parada por não fazer o social como manda a cartilha. 

Não eu não lido bem com isso... Politica é uma das áreas que eu não aprendi dominar.
E nunca foi me cobrado tanto essa arte !
Complicado, talvez até as pessoas que gostam de mim esperam esse lado " encantador" o encantador facil e lógico que é a politicagem.
Porém, as pessoas esquecem que a seleção de mundos começa a se fazer a partir do momento que mundo se chocam e não se entendem. Os que se chocam e se grudam com facilidade tb se desprende com facilidade.
Porem os que se batem, se desgruda e por algum motivo resolvem seguir a mesma direção...
Ahhh esses sim são mundos complementares.
O resto ?

O resto é menos um !

Boa sexta!




domingo, 29 de junho de 2014

Dificuldade de Relacionar

Bom, toda vez que eu tenho dificuldade em me relacionar eu apago a luz do quarto e deito na cama.
É como se eu comunicasse ao meu corpo que eu não aguento mais tanta pressão.
É como se no escuro nada pudesse me abalar e eu não precisasse resolver nada.
O escuro é um presente, presente para meus olhos cansados e pro meu cérebro que é obrigado a computar cada milimetro de visão util ou não.
Eu ja tive medo do escuro, hoje corro pra ele como uma criança corre pro braço da mãe depois que se machuca.
É tão bobo isso ! Mas faz tanto sentindo pra mim. 
Me encolho e depois me estico . Viro pra cima encaro o nada. 
É tão vazio ... O silencio as vezes impossível com tantas coisas emitindo sons diferentes .
Desligo.
O celular, o computador, o sistema nervoso.
E vegeto. Vegeto gostoso.
Pensamento vem e eu os recuso. Não não quero ... não quero nada! 
Até que vem aquela luz embaixo da porta e tira minha atenção.
Foco nela, e fico entre a sombra e a luz.
Entre me render e lutar. 
A cama me parece fofa mas sei que mais minutos alí me sentiria inutil e tudo se perderia.
Sento no chão perto do feixo de luz atras da porta... deixo ele iluminar um lado da perna.
Me atrevo a por a mão , enxerga-la na risca de luz amarela suave. Esta é minha mão.
Está na minha mão. 
Sem muita opção me agarro a maçaneta , me levanto e saio.
Saio luz, saio treva , saio um pouco mais Izabela.

 

sábado, 21 de junho de 2014

Pingo frio

Entrei no chuveiro, abaixei a cabeça e deixei a agua contornar todo meu corpo.
Esperei que lavasse meus pensamentos. Mas isso não aconteceu.
Passou tudo pela minha cabeça e por mais que eu tentasse acalmar os sentimentos dentro de mim eu não conseguia .
Virei de costas, mudei a posição encostei na parede com os dois braços apoiando todo peso do corpo como se ela pudesse segurar tudo que eu não consigo.
Como pode ser tão fácil pra umas pessoas e tão difícil pra outras.
Eu não sei...
Me revirava sobre problemas e soluções sobre lembranças boas e ruins. E não chegava em conclusão nenhuma.
A vida é engraçada. Tudo começa a dar errado, você chora e esperneia daí passa um tempo você acaba por entender que nada foi em vão. 
Mas, mesmo isso acontecendo centenas de vezes você nunca é capaz de se manter calmo e com fé nos piores momentos. Chorar e esperniar parece fazer parte do processo. Somente pra  deixar uma vergonha incrível de você mesmo e provar o quanto você é frágil .
Esse sentimento depois da tempestade que te motiva, que realmente tem chances de provocar mudanças.
Pego o sabão fricciono pra fazer uma espuma leve...e assopro ... Eu sempre amei espumas.
Com os cabelos molhados e com a sensação que uma coisa melhora e outra inevitavelmente piora, eu  me encolho,  uma gota fria no meio de todas as gotas quentes invade meu corpo me fazendo arrepiar.
Ah... o sentimento ! O sentimento é isso é uma gota gelada no meio das quentes .
Ele me faz arrepiar por diversos motivos, por ser diferente do resto das coisas, por vir de surpresa, por arrebatar meu corpo, por te levar ao limite dos estremos do quente e frio.
Eu não sei mais o que fazer pois não sei se a gota fria gosta de mim portanto tenho medo de continuar gostando da gota fria.
A gota fria parece nao se importar com o impacto que causa no meu corpo, ela somente sabe ser uma gota.
A gota fria parece nao saber se gosta disso ou não, pois parece esta sem opções é obrigada pela gravidade.
A gota fria talvez precise de carinho mas como disse ELA É  FRIA!

A gota as vezes para de cair ... talvez seja melhor pra ela.

Esperniar e chorar agora ja não resolve tanta coisa. Nem pra mim , nem pra gota!

Bom FDS.





quarta-feira, 21 de maio de 2014

Manual da perda

Pegue um homem, um homem fardado, um homem de olhos verdes que não enxergam mais pessoas e sim debochados  '" senhores e senhoras", pegue uma terça feira a tarde normal cheia de sonhos.
Entre em um carro, seja um carro, compartilhe um carro.
Coloque seu sonho dentro dele , sua musica e sua dança...e vá trabalhar...
Veja tudo amarelo, um amarelo lindo da cor do sol.
Perceba tudo embaçado, perceba as atenções voltadas pra você, ouça um som estridente, 
sinta-se na masmorra. Sinta-se com a lamina da força maior cortando seus dois pulsos onde antes passa vida agora passa vergonha.
Apartir daí, seja seca, seja comprensiva. Entregue suas chaves, sua vida e sua alegria em um gesto de obediência.
Seja franca, não minta. Não levante a cabeça. Não chore.
Saia do carro, bata suas calças, retire seus pertences. Vá embora.
Faça uma fila, puxe suas malas seus problemas e seus segredos.
Colabore, não tire seus olhos do chão e chame alguem.
Chame por dentro a justiça da vida, chame por Deus....
Perceba onde você está, olhe com os olhos cheio de calor uma duas casas.
Olhe as pessoas passando por você, olhe os julgamentos.
Consiga agora tocar a dor, manipula-la como uma massa viscosa.
Se alimente dela, deixe ela te cobrir como um casulo mas cuidado se ela cobrir seu coração
talvez vc não tenha mais objetivos.
Chegue em casa desvista suas roupas, mas não do casulo e vai dormi.
Amanhã você tem a decisão de um novo dia...ou não!





domingo, 18 de maio de 2014

O que tenho na barriga ?

O que temos na barriga é gordura ou desespero?
Sabia eu, sabia ela que não passava de um erro.
Contentei-me com o silencio.

O que tenho na barriga é angustia,fome ou desmazelo ?
Sabia eu, sabia ela que não passava de apelo
Contentei-me com o abalo.

O que tenho na barriga é pancinha,barriguinha ou pelanquinha?
Sabia eu, sabia ela que nao passava de mentirinha
Contentei-me em esperar.

O que tenho na barriga é vazio,é revolta ou é chacota?
Sabia eu sabia ela que tudo se tratava de uma cota.
Contentei-me em ficar de fora.

O que tenho na barriga é solidão, escravidão ou insatisfação?
Sabia eu, sabia ela que nem um deles, era mesmo obrigação.
Contentei-me em não segui-la.

O que tem na barriga é saúde, é estética ou orgulho ferido?
Sabia eu sabia ela, que um pouco de ambos e que tudo havia doído.
Contentei-me em não me cobrar tanto.


O que você tem na barriga?

Espero que felicidade.


quinta-feira, 1 de maio de 2014

Eu mereço ser traída

Foi isso que eu escutei. 
A lamina da solidão percorre meu corpo fazendo aquele barulho seco como unha num quadro negro. 
A lamina vem de vagar e aponta no meu queixo me desafiando. 
Eu olho fixa pra ela sem me exitar.
Eu logo respondo : - Não tenho mais historias a te contar!
Ela continua firme, dá uma esbarrada provocativa em meu nariz e tira um filete de sangue. 
Eu viro e rapidamente volto a encará-la com os olhos. Olhos negros.
Eu olho fixa pro metal, e digo : Você e eu ?! juntas! Nós quase tivemos tudo!
A lamina passa vagorozamente nas minhas maçãs, agora, virada do lado mais grosso, e faz um carinho no meu rosto, carinho que me acolhe, eu fecho os olhos e as lagrimas caem.
Eu pergunto: Por que você fica ? Pego com cuidado a lamina e coloco no meu pescoço e o ofereço a ela meu ponto vital, minha artéria. Acabe com isso.
Mas ela caminha de uma lado a outro no meu pescoço parece calcular a dor maior. Agora ela treme.
Meus batimentos cardíacos nem se modificam.
Ela desce lentamente fazendo uma reta perfeita do meu pescoço ate minha blusa e rasga os dois botões. 
Levanta o pano cortado com a ponta, e num golpe só, crava meu peito profundamente e secamente sem piedade. 
Eu olho meu peito que não tem uma gota de sangue, seguro a lamina e tiro. 
Como em uma dança, coloco-á na altura dos meus olhos, apenas olho, parada o ar é tão espesso e opaco. Todos tomam lados diferentes.
A lamina se surpreende, percebe não ter sido tão fatal.
Eu? Eu viro as costas... A lamina corta, é poderosa, mas sem um corpo ela é só uma lâmina. 
Não mereço ser traída e fim!



segunda-feira, 28 de abril de 2014

Solidão

As vezes a solidão é tão grande que chega a se tornar matéria.
É uma espécie de amiga triste. Aquela que você liga por saber que ela entende a dor que vc passa.
A solidão é engraçada. Ela pode estar em uma casa sozinha em silêncio ou em um palco com milhares de espectadores.
A solidão tem um charme. É bonita, magra e elegante. É aquela moça de chapéu longo e retrô no canto de um bar a meia luz.
A solidão é uma conversa com você mesma. Quando decide falar de tudo que não lhe é suportado sóbria. Este papo de horas é desagradável e massante . Esse papo conta mais sobre você do que qualquer comunicação cheia de risadas e gestos.
A solidão corta! Passa pela sua pele como uma lamina desenhando as formas específicas em cada uma das pessoas como uma tatuagem . Tatuagem ao qual ninguem pode ter igual. É unica! É sua ! É minha.
Essa lamina eu costumo pegar nas mãos. E apertar bem forte! Só pra ver o sangue descer ...
Só pra provar pra mim e pra ela que eu não tenho medo.
Essa solidão são meus olhos negros, a faca é minha pupila que ninguem vê !
A solidão começa quando ninguem sabe o que se passa nos seus olhos, a não ser que chegue bem perto em uma luz ideal. Luz que nunca aparece. Ou aparece em horas inapropriadas. Para pessoas que não tem tempo e nem querem ver olhos negros...
A solidão é magia e conhecimento. Trás em sí um tom de descoberta ... 
Trás em sí sofrimento certo! Tras uma certa incerteza.
trás o sozinho, trás a volta  e tras o por cima...

Boa semana!


sábado, 12 de abril de 2014

E quando as coisas não sai como esperamos?

Acho que somos os seres mais mimados e impressionantes do planeta.
Da mesma forma pelo qual choramos o quebrar de uma unha aguentamos uma mudança radical como a perda de algum movimento, ou um membro com uma resistência e fé incrível.
Certamente, eu nunca entendi o ser humano! Nunca mesmo.
Somos todos tendenciosos a não mudar nada. A se apegar a rotina ou simplesmente não aceitar que as coisas se transformam, as vezes, nos apegamos ao passado, as vezes a uma pessoa ( na esperança que tudo mude), as vezes ao um estilo de vida somente por que um dia nos fizeram feliz.
E talvez o fato de ficar na zona de conforto " da total inércia" tenha resultado na sua rotina hoje.
O que quero dizer é bem simples. 
Quando as coisas não saem do jeito que você quer, não quer dizer que deu errado. 
(eu nem quero aplicar aqui, uma ceita ou religião) apenas quero dizer que suas escolhas anteriores 
não foram bem direcionadas afetando diretamente sua vida hoje e isso tem uma responsabilidade, que se você parar pra ver, muda tudo!
Olha, o importante e se manter em pé, desfazer e refazer nunca foi fácil.
Mas também nunca foi impossível.
Desejo a todas vocês a mesma fé que eu preciso ter agora!

Bom Final de semana!



segunda-feira, 31 de março de 2014

Dificuldades !

Olá minhas amigas,

A vida é mesmo muito louca. 
Eu estava no meio de um projeto muito importante pra mim , o " projeto tanga 2014" 
e eu estava indo muito bem.  Perdendo cerca de 1kg ou 1,5kg  por semana.
Mas, nada na vida é certo. E a gente faz um plano , Deus faz outro.
E assim aconteceu. Um monte de novidades , boas e ruins. 
Eu não pretendo expor minha vida pessoal. Apesar de saber que todo mundo gosta disso hahahaha
Mas não aconteceu nada que nao tenha acontecido na vida de vocês.
Um momento de total desanimo e mais, um momento em que seu peso passa a não te importar...perto das inumeras coisas q acontece.
E eu me recuso a vir aqui chorar as pitangas. Pois acredito que todas cheguem do trabalho cansadas e gostem de ver coisas alegres, resultados e sonhos.
Enfim...
Não vou dizer que comi mal. Mas vou dizer que comi menos. Bem menos. 
Emagreci, mas claro, sem saúde.
Estou com 66 kg pesados semana passada. E todo mundo comenta o quanto emagreci. Mas nao estou bonita e nem me sentindo feliz com meu corpo. 
Bom, andei melhorando bastante coisa em mim, trabalhando duro pra modificar coisas na minha vida que eu nao gosto.
E as dificuldades sempre existiram. 
Não desisti de nada! Nem de mim, nem do projeto e nem do Blog !



terça-feira, 18 de março de 2014

Eu? Uma pessoa complexa!

Sentei na cadeira,
Eram exatamente quatro horas da tarde.
Uma arvore desenhada na parede, o tronco em alto relevo como se uma criança muito habilidosa estivesse deixado seu trabalho de escola ali mesmo estampado na parede.
O que dava a sala um toque de simplicidade. 
Existia a mesa, um jarro de flor feito cuidadosamente com jornal e a total inexistência de outro objeto em cima da mesa além desse apetrecho inusitado me fez deduzir que o lugar não era usado apenas por uma pessoa, não existia nada ali que comprovasse qualquer toque de personalização ou que sugerisse preferencias do dono da sala.
Confesso que andei, 45 minutos ao redor da pequena casa azul celeste no centro da cidade uma placa pequena mas nítida me fez ter certeza que era o endereço certo.
Caminhei meio sem rumo, mas com firmeza nos passos para não sugerir minha total insegurança.
Dei a volta completa no quarteirão, empurrei de leve o portão branco pequeno  e sentei na cadeira que tinha do lado de fora, dessas brancas de jardim feitas de madeira pintadas a mão, ao lado uma fonte escorria uma água suave. 
Mexi no celular, olhei 2 vezes a tela sem o menor objetivo. Me levantei.
O conheci e finalmente me sentei na cadeira do quarto impessoal mencionado anteriormente .

E eu sinceramente, tinha tanto pra dizer que não disse nada. 
Foi intrigante pois tinha ensaiado tantas vezes mentalmente e o melhor que fiz na hora foi :
Tenho três problemas. E tudo se enraíza destas três coisas.  
Ele sério disse : 
_Se são três é mais fácil do que imaginamos, quais seriam os 3 problemas?
Eu bem humorada disse :
_ Falta de auto estima e fiz un tizzzz (um som meio debochado) " falta de auto estima o clássico"
_Eu não consigo estar por inteira em lugar nenhum. Se estou aqui meu pensamento é la fora. Se estou la fora o foco é aqui dentro. Depois me resta somente lembranças e frustração.
_ E a terceira e não menos importante pra fechar o pacote : Minha total incapacidade de tomar decisões. 
E apartir disso a conclusão : - Ladeira abaixo.
Ele me olhava como se soubesse de algo que eu não sabia e isso me deixava no minimo desconfortável.
Ele levantou pegou sua mala mexeu nela, colocou ao seu lado e tirou de dentro um pacote de lenço e me entregou. Algo me dizia que eu estava sendo testada. Segurei o caixinha e pus ao meu lado.
E disso surgiu a bomba :
_ Você guarda as coisas né ?  
Sorri e disse descontraída, acho que não. Não tenho dificuldades em falar sobre sentimentos.
_Tem certeza? Então, tirando os problemas detectados, me conte sua vida e foque no que te incomoda.
Deste então, foram uma hora falando sobre mim.
Finalizei, e ele levemente puxou a mala para seu colo, e tirou um objeto diferente antigo, que me fez rir mentalmente da falta de contato com a tecnologia. 
E disse não quero que fale nada até o fim , certo?
Disse que sim com a cabeça ...
e iniciou. 
Um choque!
Minha própria voz, a minha historia. Eu escutando cada respiração e pausa abafada. O tremer da voz em alguns assuntos. O certo medo e timidez em tocar em outros. Me avaliei como uma profissional. Pois nem precisava ser profissional para analisar meus erros. Meus reais problemas.
E sim, precisei dos lenços de papel. Depois de relutar varias vezes com lagrimas nos olhos que pesavam como caminhões.
Escutei até o fim e ele disse : - O que vc falaria pra essa menina? Se ela viesse ate você pedindo ajuda e te perguntasse . Qual é o meu problema? Qual atitude minha não é saudável, o que vc diria?
Eu fiquei segundos em silencio.
_ Diria que ela se cobra muito! 
Ele anotou algo, olhou pra mim e disse.
Você não acha que se cobra de mais? Ate que ponto isso é saudável?
E não me deixou responder... parece que era pra ficar no ar. 
Você elabora muito bem todos seus sentimentos e coloca tudo com uma nitidez incrível, você é um tipo raro que consegue fechar o raciocínio de maneira logica e racional o que não podemos dizer de suas ações pelo pouco que  notei. Podemos aprofundar bastante conversar de igual pra igual, pois não preciso fazer vc chegar as conclusões de maneira dedutiva e trabalhosa, pois você tem maturidade emocional pra entender e ja refletiu bastante sobre muita coisa ... portanto pode durar um mes... mas pode durar a vida inteira pois assim como você ve tudo com clareza e alguma certeza, muda-los, te convencer que seus conceitos sobre você e sobre alguns aspectos da vida estão errados vai depender muito mais de você que de mim da sua capacidade de se auto convencer.
Eu posso te ajudar, mais do que você imagina! Te ajudar a passar por isso que esta vivendo.
O maior dos passos você ja deu. 
_ Cuidar de você! 

Escutei tudo aquilo sem saber na realidade se era bom ou ruim.  Senti como se ele se interessasse por tudo que eu tinha dito, pra ser sincera senti como se ele tivesse interesse que eu voltasse, talvez pela complexidade de tudo que foi dito. Talvez pela minha tal capacidade racional e logica que ele viu q eu nao vejo. 
Deixei a casa azul celeste ...

Não sei se foi a experiencia nova, ou falar sobre mim, ou as lagrimas com peso de caminhões que deixei em forma de lenço... mas estava leve , voltei pra casa e talvez eu volte varias vezes pro mundo da arvore de troncos grossos da parede.

( Baseado em fatos reais. Ou não!  Ótima quarta.) 

lenço


terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Memórias ligada a gosto

Hoje o café da manha foi morangos.
Os morangos mais bonitos do mundo!

O que me fez e sempre me faz viajar.... viaja comigo?

Não sei dizer ao certo se amo morangos ou amo essa sensação de viajar a anos atras. Lembro perfeitamente de cada ritual de domingo com meu pai e eventualmente minha mãe e irmão.
Diferente da esmagadora maioria que ia sempre para casa de vó ou vô eu ia para uma construção que um dia ia ser a nossa casa. Este lugar era apelidado carinhosamente de " lote " . 
Vamos para o " Lote " ! Dizia meu pai com espuma, detergente e cera pra carros. 
Ia ele lavar o carro e limpar o lugar e eu ia ... 
eu ia pro meu mundo magico!
Pra criança não precisa muita coisa pro lugar ser mágico! Basta ter espaço pra correr, um pouco de terra e...
MORANGOS.

Eu não sei bem, a macumba que meu pai fazia. Pois hoje eu sei que morangos são bem difíceis de dar. Mas no "lote" dava! No lote brotava morangos!

E minhas tardes se passavam assim! Suja de terra, com pés descalços, as vezes sem o tampão do dedo pois insistia em jogar bola em um lugar totalmente irregular e com britas resaltadas do cimento mas sempre à procura de morangos.

Morangos pequenos. Azedos. Bem diferentes dos morangos que compro hoje, parrudos e docinhos.
Lembro perfeitamente das folhas cortadinhas que eu dizia e sabiamente compartilhava :_ Deus devia ter uma tesourinha de picote como a minha ! Pois o desenho das bordas dos pézinhos eram idênticos. 
E lembro da alegria de debaixo daquelas folhas verdes e molhadas achar uma frutinha vermelhinha. O vermelho me encantava!
Lembro da rapidez com que levava a boca ! Na ansiedade de ser feliz.

Bom, eu cresci. O "lote" nunca morei lá! 
Era em um bairro mais humilde e violento pelo qual minha inocência de infância só me deixava enxergar o quão grande e magico aquele lugar era e ignorar completamente o que se tinha ao redor. Sabedoria infantil.

Porém, cresci com gosto de morango na boca, cresci ansiosa por felicidade. Cresci louca por morangos. Cresci cheia de memórias. E pra falar a verdade cresci sabendo que nunca vou crescer.
Vou ser sempre a menina procurando os morangos por baixo das folhas molhadas.



Dia de pesagem meus amores! - 3,300 desdo começo do projeto :) Projeto tanga de vento em polpa! Hummm polpa de morango! :P




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...